Páreo para Dilma

Páreo para Dilma

Sonia Racy

16 de março de 2010 | 08h17

O aniversário era do Jockey, que fez 135 anos no sábado. Mas o dia foi de Dilma, com direito a discurso e brincadeira com crianças. Bem humorada, ela aceitou até ensaiar passos de “rebolation” para o Pânico da TV.

MINISTRA DILMA ROUSSEF, MARCIO TOLEDO, MARIO GIMENEZ, MARTA SUPLICY, padre marcelo e don fernando scherer1ok

Anibal Massaini, diretor de marketing do Jockey, explicou que a ideia de homenagear a ministra pelo Dia Internacional das Mulher foi da diretoria. Pensaram em alguém do PSDB? “Não, o PSDB não tem candidata mulher a presidente…” Mas… e Marina Silva, do PV? “É…Talvez no ano que vem…”

Entre petistas novos e antigos, até Naji Nahas apareceu para fazer a corte. A provocação do dia coube ao jóquei vencedor do páreo em homenagem à candidata petista, Ele a brindou com seu… chicote. “Xi, danou-se”, reagiu em voz baixa outra homenageada com nome em um páreo, Ellen Gracie.

A ministra do STF, aliás, declinou de convite de Márcio Toledo, o presidente do Jockey, para entregar prêmios aos vencedores dos páreos ao lado da chefe da Casa Civil: “Não vamos misturar Executivo com Judiciário.”

E Dilma voltou a esbarrar em nomes. “Quero agradecer ao presidente do Jockey, Marcio…. Botelho”, disse em seu breve agradecimento. O que a levou, mais tarde, a explicar a Toledo e a Marta Suplicy que tem “um grande amigo” com esse nome. Solidário com a ministra, dom Fernando Antonio Figueiredo, bispo da diocese de Santo Amaro, acabo cometendo erro parecido: chamou-o de “Antonio Toledo”.

Petista de carteirinha há muitos anos, Eleonora Rosset pediu foto ao lado de Dilma. “Ministra, estou com o mesmo tailleur que tinha usado no dia da posse do Lula.” Um Christian Lacroix vermelho.

Por Pedro Venceslau

Tendências: