Para não esquecer

Para não esquecer

Sonia Racy

29 Janeiro 2014 | 01h15

Foto: Denise Andrade/Estadão

Antes da cerimônia do Dia Internacional em Memória às Vítimas do Holocausto – anteontem, no Palácio dos Bandeirantes –, Alckmin recepcionou convidados ilustres no Salão dos Pratos. Enquanto tucanos ciceroneavam o presidenciável Aécio Neves, Marquito, ex-assistente de palco do Programa do Ratinho, do SBT, e vereador do PTB tentava ser fotografado ao lado de… Michel Temer.

Walter Negrão, autor da novela Flor do Caribe, homenageado da noite ao lado do ator Juca de Oliveira, não pôde comparecer, vitimado por uma bursite. Na trama, exibida pela Globo no ano passado, o personagem de Juca era um sobrevivente do Holocausto.

O coquetel, na sala VIP, foi interrompido por alguns minutos para que Alckmin e Temer fossem agraciados por Claudio Lottenberg, presidente da Confederação Israelita do Brasil. Ganharam, de presente, uma menorá e um enfeite de mesa de Jerusalém.

Lottenberg, aliás, é recém-filiado ao PR, partido que Alckmin ainda quer ver em sua aliança. Os tucanos contam com a influência do deputado André do Prado na legenda. Mas sabem que, se depender do senador Antonio Carlos Rodrigues – suplente de Marta Suplicy no Senado –, o PR ficará com Alexandre Padilha. E Rodrigues quer ver Lottenberg na vice do petista.

E, para tratar de eleições, Rodrigues esteve ontem em São Bernardo. Para longa conversa com Luiz Marinho.

Apesar de apoiar Dilma, o Pros está perto de fechar aliança com Alckmin em São Paulo. As conversas estão sendo tocadas pelo deputado e presidente da seção paulista do partido, Salvador Zimbaldi. /MARILIA NEUSTEIN E THAIS ARBEX