‘Isolacionista e imprevisível’, diz embaixador sobre Trump

Sonia Racy

21 Janeiro 2017 | 01h00

Donald Trump foi mais Donald Trump que nunca, ontem, em seu discurso de posse em Washington. “Mostrou que continua no palanque, foi populista e nacionalista, atacou o Congresso e os políticos em termos radicais, como há muito não se ouvia de um presidente americano”, resumiu o embaixador Rubens Barbosa para a coluna, de Miami, dando sua impressão sobre a estreia do sucessor de Obama.

“O tom patriótico que ele invocou só se compara ao de Bush em 2001, no dia do ataque às Torres Gêmeas”, prosseguiu o diplomata, que comandou a Embaixada brasileira por lá de 1999 a 2004.

Trump sinalizou, segundo ele, para um novo isolacionismo, em que a política interna americana “estará acima de qualquer outro tema”.

Falta tudo 2

Mas que tipo de governo ele vai fazer? “Vai ser um governo sui generis e imprevisível”, adverte Barbosa. Não se sabe até onde ele vai manter na prática seu discurso, “ainda mais governando um país muito dividido”.

O ‘pai’ do vestido de Melania

Desconfia-se que a escolha de Ralph Lauren – o mais americano dos estilistas americanos – para vestir Melanie Trump ontem, teve ajuda de Lauren Bush, neta de George Bush pai e sobrinha de George W. Bush.

A moça é casada com David  Lauren, filho de Ralph e vice-presidente do Grupo, entrevistado pela coluna no ano passado – quando se recusou a falar sobre política, apesar de admitir ser republicano desde o berço.