‘País precisa de um tsunami de gestão pública’, diz Fabio Ermírio de Moraes

‘País precisa de um tsunami de gestão pública’, diz Fabio Ermírio de Moraes

Sonia Racy

23 Janeiro 2018 | 01h20

FABIO ERMÍRIO DE MORAES

FABIO ERMÍRIO DE MORAES. FOTO: DENISE ANDRADE/ESTADÃO

Fabio Ermírio de Moraes, do Grupo Votorantim, raramente se manifesta em público. Ainda mais sobre política.

Mas, em conversa informal com a coluna, o empresário – um dos apoiadores da recém-criada “escola” apartidária RenovaBR, responsável pela formação de 150 candidatos para esta eleição – frisou: “O País precisa de um tsunami de gestão pública e de um pacto da sociedade em prol da melhoria dessa gestão.”

Afinal, segundo Moraes, os brasileiros “têm de decidir quem vai sobreviver: o Estado ou a sociedade”.

Elite tem de ‘pensar no
longo prazo’, diz Amoedo

Este tipo de colocação agrada a João Amoedo, do Partido Novo. Em conversa com a coluna, o candidato à Presidência disse que “o Brasil só vai melhorar quando a elite empresarial tratá-lo como trata as suas empresas: pensando no longo prazo”.

E não no bônus semestral.

Leia mais notas da coluna: 

‘O Rio tem público, mas São Paulo tem plateia’, diz Ciro Barcelos

Projeto que altera o Estatuto do Torcedor vai para a Câmara