País ‘precisa de ordem para ter progresso’, diz empresária

País ‘precisa de ordem para ter progresso’, diz empresária

Sonia Racy

08 Outubro 2018 | 00h55

CRIS ARCANGELI. FOTO: ARQUIVO PESSOAL

CRIS ARCANGELI. FOTO: ARQUIVO PESSOAL

Esta coluna procurou vários empresários que apoiam Bolsonaro. Nenhum quis se manifestar publicamente. Já Cristiana Arcangelli, da Beauty’ in, não só concordou em falar com tem feito campanha nas redes sociais. Como se aproximou de Bolsonaro? “Não conheço pessoalmente, mas pesquisei seu plano de governo e me identifiquei. Acredito que o Brasil precisa de ordem para alcançar o progresso”, disse.

A empresária, que já tocou outros negócios, não se vê representada por nomes diferentes. E não considera machista o candidato do PSL. “Vi os vídeos completos, não acredito nos recortes que manipularam a opinião pública”, coloca, lembrando que, depois do atentado, suas duas ex-mulheres estavam no hospital. Tampouco o considera racista: “Ele tem uma sogra negra”. Nem homofóbico. Ele tem preparo para ser presidente? “Sim. Pelo seu posicionamento. Depois, por demonstrar firmeza, transparência e coragem em suas propostas, focadas no crescimento da economia e no fim da corrupção. E pela experiência como político, disciplina e patriotismo como militar. Fez campanha só com a verba do fundo partidário”, ressalta.

A polarização que marcou a campanha de 2018 vai acabar? “Nenhum movimento tem esse poder, acho que vivemos um marco do exercício da democracia. A polarização foi frutos de muita desinformação.”

A campanha debateu a economia brasileira? “Infelizmente, as discussões de gênero e raça, entre outras, foram levadas muito mais em consideração do que o debate de soluções para problemas de maior gravidade e urgência – como segurança, economia, desemprego, fome, falta de creches e moradia, saúde, crescimento econômico e corrupção”.

Cristiana, apesar disso tudo, se diz otimista, acreditando no potencial do Brasil. “Tudo que construí foi aqui. E acredito, sim, que seja o melhor país do mundo para se viver e para se empreender.”

Leia mais notas na coluna:
Debate centrado em costumes favoreceu Bolsonaro, diz analista
Empresários pregam voto útil em Bolsonaro