Pais e colégio entram em acordo sobre pluralismo nas aulas

Sonia Racy

16 Abril 2017 | 00h50

Carta aberta dirigida à direção e aos professores do Colégio Santa Cruz causou confusão, esta semana, em grupos de WhatsApp. O documento – que leva a assinatura de “pais de alunos” – critica a visão ideológica pró-esquerda de muitas aulas, em especial as de história geral e do Brasil.

Na resposta, Santa Cruz
fala 
em ‘mundo múltiplo’…

Em resposta, a escola enviou comunicado a todos os pais afirmando que seus professores são comprometidos com os alunos “não só para favorecer sua autonomia intelectual e existencial (…) mas também para colaborar com a compreensão e transformação desse mundo múltiplo.”

… e autor da carta faz
uma 
revisão de sua análise

A tréplica veio do autor da carta. Lamentando seu vazamento, ele informou que, depois de encontros com a diretoria da escola, o texto “não representa mais o entendimento atual sobre o tema”.

E que o grupo foi sensível aos argumentos apresentados pelo colégio, que revelou “genuína preocupação com a pluralidade de ideias”.

OAB apoia CNJ na defesa de união
entre pessoas do mesmo sexo

A OAB decidiu entrar no Supremo a favor do CNJ, na pendência sobre casamento entre pessoas do mesmo sexo, apresentada pelo Partido Social Cristão. A Ordem se vale, no documento, de um princípio clássico do direito: “Tudo o que não for juridicamente proibido está juridicamente permitido”.

A resolução do CNJ é de 2013. E tem a seu favor decisão do STF que valida norma do Código Civil pela qual esse tipo de união nada tem de inconstitucional.

‘Povo da Floresta’ relembra
Chico Mendes, 30 anos depois

Quase 30 anos depois da morte de Chico Mendes, o diretor Rafael Calil já está na pós-produção do documentário Povo da Floresta.

Coprodução entre GloboNews e Globo Filmes que acompanha o cotidiano dos moradores do Seringal Cachoeira, onde o líder ambientalista cresceu.

Farol da Barra e outros fortes
querem ser patrimônio mundial

O Farol da Barra, em Salvador, mais outros quatro fortes da cidade, entraram na corrida para se tornarem Patrimônio Mundial. No “pacote”, a Unesco avaliará mais outras 14 fortificações espalhadas pelo Brasil.

Mas todas dependem ainda de recursos para preencher os requisitos.