Padrinho forte

Sonia Racy

02 de outubro de 2010 | 23h06

Não será surpresa se Dilma vencer e decidir que no Ministério da Justiça continua o atual titular, Luiz Paulo Barreto. O padrinho é forte e atende pelo nome de Márcio Thomaz Bastos. O outro cotado é ninguém menos do que José Eduardo Martins Cardozo. Se depender de Lula, porém, não irá para a cadeira.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: