Padilha e a guerra dos dez minutos

Sonia Racy

07 de fevereiro de 2016 | 00h30

Na barulheira geral, houve espaço, no sambódromo, para se falar de Aedes aegypti. Alexandre Padilha, da Saúde municipal, insistia no mantra: “Como 85% dos focos do vírus estão dentro das casas, só ganhamos essa guerra se trabalharmos todos juntos”.
Chamou a batalha de “guerra dos 10 minutos”. O tempo, uma vez por semana, para se cuidar de água parada em uma residência.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.