Outro mundo

Sonia Racy

23 de outubro de 2013 | 01h07

Indagado sobre o motivo de a Saudi Aramco não ter participado do leilão de Libra, o príncipe Abdulaziz Bin Abdullah, respondeu de pronto: “Mas ela foi convidada?”.

Controlada pela família real, a maior empresa petrolífera do mundo (de capital fechado), avaliada em US$ 10 trilhões, nem sequer se inscreveu.

Outro mundo 2

O poder da casa Saudi foi constatado no jantar do Bandeirantes (fotos ao lado). O filho do rei saudita trouxe pelo menos 20 jornalistas em seu avião particular para cobrir as duas horas de evento – transmitido, ao vivo, para a TV estatal na Arábia Saudita.

Detalhe: é proibido fazer perguntas diretamente ao príncipe sem que o séquito de seguranças arme, imediatamente, um… bloqueio.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: