Outro lado

Sonia Racy

09 de novembro de 2010 | 23h07

Aos que protestam contra, Andrea Matarazzo esclarece que a reestruturação da escola de música Tom Jobim tem como perspectiva, a profissionalização dos alunos. “Existe gente estudando há 15 anos, com direito a aula particular”, aponta.

Como fazer? Primeiro, adequando a demanda à oferta. Isto é, a quantidade de alunos de uma certa matéria ao número de professores. Depois, promovendo testes para que os frequentadores passem de ano. “O ensino é publico e gratuito. A fila tem que, obrigatoriamente, andar.”

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: