Outro lado

Sonia Racy

04 de junho de 2015 | 01h02

A ítalo-argentina Techint rebate nota – publicada ontem pela coluna – em que a Petrobrás informa ter adotado o bloqueio cautelar somente nos casos em que havia provas concretas de envolvimento na Lava Jato. A empresa afirma que seu bloqueio tem como base apenas “menções a seu nome em delações premiadas” que “o próprio STF considera insuficientes”.

E ainda que aguarda a devida apreciação da sua defesa, “confiando em que a medida de bloqueio será revertida”.