Outro lado

Sonia Racy

04 de setembro de 2012 | 01h08

Alberto Toron recebeu ontem pela manhã, em sua casa, João Paulo Cunha.

Abatido, estava inconformado com a leitura feita por membros do STF sobre as três notas fiscais sequenciais emitidas envolvendo os R$ 50 mil que recebeu. “Se fosse falcatrua, teria emitido uma só”, reclamou.

Toron fará novos memoriais para enviar aos ministros.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.