Outro lado

Sonia Racy

22 de dezembro de 2011 | 23h07

Laurence Casagrande, do Dersa, explica que não foi São Paulo que quis misturar regras brasileiras com as do BID para fazer a nova licitação de seis trechos do Rodoanel, de R$ 4,9 bilhões – parte dos R$ 6,5 bilhões para o projeto inteiro. “Se usamos recursos do banco, temos que cumprir as regras deles também.”

Mesmo assim, as cinco empreiteiras, alijadas do processo e que impetraram recursos contra, continuam achando que o Estado exagerou ao seguir a receita.

Outro lado 2

As decisões do TCE e TCU de suspensão do processo têm caráter provisório, liminar e parcial, segundo Casagrande. “Não houve tempo hábil para manifestação da Dersa. A data de entrega e abertura dos envelopes era 13 de dezembro. E havia necessidade de manifestação dos tribunais.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.