Outra história

Outra história

Sonia Racy

03 de novembro de 2019 | 00h35

FLAVIA FLORES/ FOTO: DIVULGAÇÃO

 

Foi no período em que dava aulas de informática em uma penitenciária feminina que Flávia Ribeiro de Castro plantou a semente para o livro Flores do Cárcere, para um documentário com o mesmo nome e uma ONG, a Casa Flores. “Lá eu vi coisas que me chocaram. Meninas muito jovens e na sua maioria presas por crimes não violentos. Muitas delas deixam filhos que acabam indo para orfanatos e entram para a criminalidade”, diz ela.

Para o filme, exibido na Mostra de SP, Flávia buscou as mulheres com quem tinha convivido para contar suas histórias depois do período em que se conheceram, em 2004, e um pouco do cotidiano do período na prisão. “Convidei as egressas para apresentarem a primeira sessão do filme”, diz. Flavia dá continuidade à assistência de ex-detentas com atividades de capacitação na Casa Flores.

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: