O silêncio de Dilma

Sonia Racy

26 de junho de 2016 | 01h45

Ao menos duas vezes, nos últimos dois meses, o PT pediu que Dilma mudasse o modo de tratar seu afastamento do Planalto.

A sugestão, até documentada, foi que ela dissesse ao País não só que tinha sido afastado de forma ilegal – como tem feito –, mas que, ao retornar, seria uma outra Dilma. E fazendo um mea culpa sobre as escolhas feitas na política econômica.

A resposta, nas duas ocasiões, foi… o silêncio.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: