Ótica do vizinho

Sonia Racy

14 de fevereiro de 2011 | 23h10

Tariq Ali acaba de lançar no Brasil, pela Record, Duelo – livro que faz análise política e profunda sobre seu país natal, o Paquistão. De Londres, onde vive, enviou à coluna algumas considerações sobre a revolta no Egito.

Primeiro ponto: a quem comparou as manifestações no Cairo, que levaram à queda de Mubarak, às do Leste Europeu, em 1989, o escritor e ativista avisa: os movimentos pouco têm em comum. “Na época, o desejo da população era de se unir para ser como o Ocidente, aceitar a sua ‘civilização’”, situa. “O mundo árabe quer é independência e democracia. O que estamos presenciando naquela região é, sim, o equivalente à onda de revoluções na Europa de 1848 (Primavera dos Povos)”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.