Origem

Sonia Racy

21 de agosto de 2015 | 01h29

O governo Dilma está sendo criticado por ter costurado o apoio para o setor automotivo “deixando o ajuste fiscal de lado”. No caso do BB, são R$ 3,1 bilhões. Entretanto, não é a primeira vez que o banco faz este tipo de operação. Segundo fonte da instituição, em fevereiro foi renovado convênio semelhante com a BRF: R$ 4 bilhões.

O banco financia produtores da BRF com o compromisso de compra firme dos produtos pela empresa. Exigência igual à da contratação de financiamento pelos fabricantes de carros.

Diferença? Não se exigiu da BRF manter empregos.

Origem 2 

Em tempo: o desenho inicial do incentivo à indústria não incluía a CEF.

Tendências: