Opiniões contrárias

Sonia Racy

25 de fevereiro de 2011 | 23h02

Como de hábito, o Ministério da Fazenda custa em reconhecer sinalizações de alta de inflação, classificando o mercado financeiro como histérico. A percepção da equipe econômica é de que as projeções dos analistas estão contaminadas pelos dados divulgados por institutos de pesquisas. Pregam que haverá, sim, redução lenta e gradual da inflação a partir do segundo semestre.

Entretanto, estão preocupados em lidar com projeções elevadas para o IPCA neste semestre. A ginástica será a de controlar as expectativas.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.