Operação Casa Cheia

Sonia Racy

11 de agosto de 2015 | 01h13

A Câmara de SP montou operação no estilo “torcida organizada” para a primeira votação, hoje, do Plano Municipal de Educação. A galeria do plenário será dividida ao meio, com 80 lugares (via senhas) para entidades LGBT e feministas e outros 80 para grupos religiosos.

Quem não conseguir entrar será acomodado em dois auditórios, um para cada lado. Tudo com segurança reforçada.

Casa cheia 2

Em junho, por 7 votos a 1, a Câmara vetou a promoção da igualdade de gêneros nas escolas. Defensores da ideia deverão pressionar para que ela seja reincluída no texto.

E quem não for de nenhum dos lados… poderá entrar? Sim, mas desde que vista uma das duas “camisas”.