Olhos nos olhos

Sonia Racy

28 de agosto de 2014 | 01h10

A decisão de Marina – iniciar aproximação com o agribusiness por meio do açúcar e álcool – tem razão de ser. O setor, hoje, é o que mais se aproxima da sustentabilidade defendida pela candidata, tendo se modernizado muito nos últimos anos. Além, claro, da aversão que nutre por Dilma.

Entretanto, o jantar para cerca de 40 empresários, sexta, na casa de Plínio Nastari, do Datagro (consultoria gigante de etanol e açúcar), não contará apenas com representantes da área. Terá a presença do pessoal da pecuária e de outros produtos agrícolas.

Olhos 2
A Sociedade Rural Brasileira organiza encontro entre produtores e a ex-ministra. E costura agenda para ela no Mato Grosso – onde sofre resistência.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.