A dança dos tucanos em volta de Temer

Sonia Racy

10 de maio de 2016 | 01h12

Ontem Michel Temer tinha preocupações bem mais urgentes, com a ventania política criada por Waldir Maranhão. No fim de semana, entretanto, o vice-presidente se viu envolvido com seguidos sobrevoos de tucanos. O que o levou a questionar a posição do PSDB – que, publicamente, não vai indicar nomes para seu eventual ministério.

Qual o problema? É que, como até o calçadão do Palácio do Jaburu sabe, Aécio patrocina o nome de Bruno Araújo para o Ministério das Cidades. E gostaria de ver Tasso Jereissati na Indústria e Comércio. Já Alckmin aprova a escolha de Alexandre de Moraes para a Justiça.

E Serra – o primeiro tucano a ser lembrado por Temer – tem apoio de FHC.

Muro 2

O PSDB somaria, portanto, quatro ministérios. “Para tanto, eles têm que vir a público assumir suas indicações”, aponta fonte próxima a Temer. Afinal, a carta definindo 15 condições para apoiar o governo Temer apresentada pelo PSDB não prevê a escolha de ministeriáveis.