Emilio Odebrecht renova conselho e deixa comando da holding

Emilio Odebrecht renova conselho e deixa comando da holding

Sonia Racy

22 Abril 2018 | 01h00

EMÍLIO ODEBRECHT

EMÍLIO ODEBRECHT. FOTO: PAULO GIANDALIA/ESTADÃO

Depois da turbulência que marcou sua vida nos últimos dois anos e meio, a Odebrecht S. A., holding do grupo, prepara renovação de seu conselho de administração. Segundo fonte da empresa, seis dos nove conselheiros serão independentes.

Nesses seis, duas mulheres – coisa rara no setor.

Ato será um dos últimos
de Emílio no comando

Esse deve ser um dos últimos atos oficiais de Emílio Odebrecht no comando do grupo. Quando? Na reunião do atual conselho nesta terça, 24, em Salvador.

O pai de Marcelo deixa o cargo depois de 20 anos. E este não pode substituí-lo, mesmo depois de cumprida sua pena. O novo estatuto da empresa não permite.

Não havia indícios, até o final de semana, de quem ficará no comando do grupo. O nome mais citado nas especulações é o de Newton de Souza, atual vice-presidente.

Empreiteiro oferece jantar
a velhos companheiros

Na investigação da Lava Jato, Emilio acertou com a justiça que sua pena de quatro anos não seria cumprida de imediato. Ficaria livre por mais de um ano, para arrumar o grupo e ser o fiador dos acordos – depois do que passaria a usar tornozeleira eletrônica. Nesse período, negociou o maior valor de leniência do planeta, em torno de R$ 8,5 bilhões.

Seu último ato terça-feira será à noite, quando oferece um jantar de agradecimento a velhos companheiros, alguns com 50 anos de casa.

Leia mais notas da coluna:

‘Pedido’ de Alckmin para Aécio entra no cálculo de tucanos mineiros

Gustavo Ungaro deixa Ouvidoria-Geral e vai para Controladoria da capital