Observatório aponta desafios na desigualdade para novo governo

Sonia Racy

25 Novembro 2018 | 01h00

Enquanto Paulo Guedes e equipe replanejam o futuro da economia, o Observatório de Informações Municipais traz à luz, com dados já de 2017, o tamanho das diferenças regionais Brasil afora. Um dos números aponta que o Sudeste responde por 48,3% das receitas tributárias municipais e o Nordeste por menos da metade: 21,6%. Comparativamente, o Sudeste tem 42% da população, contra 28% do Nordeste.

Outro levantamento revela a diferença entre rendas municipais per capita. A maior, no Sul, é de R$ 3.634, pouco acima do Sudeste, com R$ 2.508. A menor, no Norte, é de R$ 2.274.

‘Combate à miséria
não tem resolvido’

O que isso significa? “Que o combate à miséria absoluta pouco tem ajudado”, resume o economista François Bremaeker, diretor do OIM e coordenador do estudo. Ou seja, a redistribuição do Fundo de Participação dos Municípios, destinada a reduzir diferenças entre extremos, “perde força ante os tributos originários do ICMS decorrente da industrialização maior de grandes cidades”.