O ‘pai’ da Ficha Limpa aceita o debate da lei com o Supremo

Sonia Racy

19 de agosto de 2016 | 00h18

Marlon Reis, um dos “pais” da Ficha Limpa, achou “deselegante” a crítica de Gilmar Mendes à lei, mas diz não temer os ataques do ministro: “Em seis anos de vida, a norma já barrou cerca de 1.200 pessoas em duas eleições. Pelas decisões já tomadas, ela é irreversível”, disse ele à coluna.

O juiz maranhense, que já discutiu o assunto com os movimentos de defesa do texto, foi além: defende um debate sobre o tema com o STF, “onde muitos ministros já deixaram clara a sua simpatia pelas normas”.

Vai convidar Gilmar?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: