O juiz Vallisney, entre a magistratura e a poesia

Sonia Racy

30 de julho de 2017 | 01h50

No peito de Vallisney Oliveira, juiz de Brasília que tem tomado decisões duras em varias operações do MPF, bate um coração de poeta.

Em seu blog na internet, o magistrado exibe duas opções a quem entra na sua página: oferece ali poemas “transcritos” e… “tentados”.

Ao que se saiba, não faz esse tipo de divisão em suas sentenças judiciais.