O Irã não é aqui

Sonia Racy

03 de junho de 2010 | 07h26

Incômodo à vista para o Itamaraty e para Ahmadinejad. Está sendo criado no Rio o Núcleo da Diversidade Iraniana, destinado a receber e a dar assistência a gays do Irã – que Teerã jura que não existem.

Coordenado pela senadora Kátia Abreu, do DEM, o movimento surgiu a partir da chegada ao Brasil de E. K., um gay perseguido pela polícia iraniana e que acaba de obter do Brasil a condição de refugiado político.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.