O herdeiro de tudo

Redação

11 de fevereiro de 2009 | 06h00

Barack Obama herdou a maior crise econômica dos últimos 80 anos, sucedendo a um governo que duplicou a dívida do governo em oito anos. Mas, ao falar à nação anteontem, não fez menção a nada parecido com herança maldita. E olha que teria tudo para.

Ao defender seu pacote, não reclamou de George Bush, da duas guerras, dos descontrole do mercado financeiro ou do corte dos impostos dos ricos. Ainda assim seu projeto foi retalhado no Congresso, e seu sonho de transcender as diferenças partidárias não sobreviveu a duas votações em duas semanas.

Como resume atento observador: sendo quem é, ou se revela um superpresidente ou terá pela frente anos paraCristo algum botar defeito.

Leia outras notas no blog da coluna Direto da Fonte

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.