O Haiti é aqui

Sonia Racy

24 de janeiro de 2012 | 23h08

A decisão do Brasil de limitar a entrada de haitianos no País divide opiniões de grupos humanitários. A Conectas está apreensiva. Enviará, nos próximos dias, carta aos ministérios da Justiça, das Relações Exteriores e do Trabalho – pedindo esclarecimentos sobre como as propostas do governo serão implementadas.

Principalmente quanto ao número de haitianos que poderão entrar no País – e à situação futura dos que continuarão a imigrar ilegalmente, com possível ordem de deportação.

É aqui 2

Já Rubem César, do Viva Rio – desde 2004 em missão no Haiti pela ONU –, afirma, pessoalmente, que a resposta à crise tem sido positiva. “O governo abriu caminho com um tipo novo de visto, que dá direito a trabalhar. É justamente o que os haitianos procuram”, afirma. “E mostrou firmeza para estancar o movimento, que poderia se transformar em corrente”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.