Núcleo da Prefeitura atendeu a problemas de quase 7 mil alunos

Sonia Racy

28 de março de 2019 | 01h00

CÂMARA DE SÃO PAULO

CÂMARA DE SÃO PAULO. FOTO: EVELSON DE FREITAS/ESTADÃO

A necessidade de proteger e assistir alunos com problemas nas escolas – que veio à tona após a tragédia em escola de Suzano – chegou à Câmara paulistana. O vereador Ota, do PSB, cobrou da gestão Bruno Covas como anda a lei que ele conseguiu aprovar em 2014 que cria um Conselho de Assistência Psicológica para alunos da rede municipal.

Indagada, a Prefeitura informou que a lei resultou no Núcleo de Apoio e Acompanhamento para Aprendizagem. Nele atuam 52 profissionais que já fizeram 6.900 atendimentos na rede municipal.

Proteção

Surpreso, afirmando que não tinha essa informação, o vereador marcou audiência, na segunda que vem, com João Cury, secretário da Educação. Quer saber, entre outras, quantos dos 52 profissionais são psicólogos e como chegar aos atendidos — e atendentes –, para checar os resultados da sua iniciativa.

+ Leia a íntegra da coluna

Tudo o que sabemos sobre:

Câmara Municipal de São Paulo

Tendências: