Novos Ronaldos

Redação

27 de março de 2009 | 06h00

Nos meios educacionais e esportivos – os sérios – tem gente de cabelo em pé. É que na nova Lei Pelé que a Câmara começa a debater há um “pequeno detalhe”, pouco discutido, que autoriza os clubes a pagar bolsa de apoio a meninos a partir de 12 anos.

Mas não é bom isso? Não exatamente: atrapalha a formação e desrespeita normas sobre trabalho infantil.

Leia outras notas no blog da coluna Direto da Fonte

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.