Novo round

Sonia Racy

08 de maio de 2014 | 01h10

A Associação Nacional dos Editores de Livros comemora a aprovação, na Câmara, do projeto que libera a publicação de biografias não autorizadas. Mas trabalha, agora, para derrubar a emenda do deputado Ronaldo Caiadono Senado. Considera que ela abre brecha para a censura – a Justiça pode mandar retirar de obras trechos que atinjam a “honra, boa fama ou respeitabilidade” do biografado. “O diabo está nos detalhes”, acusa Gustavo Binenbojm, advogado do grupo.

Já Roberto Carlos, pivô da polêmica, se diz contemplado com a decisão da Câmara. Mas defende que o Senado avance, incluindo o direito à privacidade no texto.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: