Nosso chinês 2

Sonia Racy

17 de abril de 2010 | 06h10

Causou estranheza, também, Lula afirmar que o Brasil abrirá consulado no Cantão, na China. Como a promessa se arrasta desde 2004, não faltou quem lembrasse que, nesses quatro anos, o Brasil já abriu representações em Mauritânia e Serra Leoa. E a China, uma no Rio, cumprindo sua parte do que foi acertado.

Atento ao episódio, houve quem evocasse frase do ex-embaixador chinês no Brasil, Chen Duqin: “O Brasil não vende para a China. A China é que compra do Brasil”.

Tendências: