Nos trilhos

Sonia Racy

15 de abril de 2014 | 01h10

Finalmente andou o projeto de sistema de trens intercidades apresentado pelo consórcio BTG-Pactual/EDLP, por meio de uma MIP (Manifestação de Interesse Privado), ao governo de São Paulo.

Reunião técnica acontece esta semana em Brasília para definir os detalhes do primeiro trecho. Fruto de parceria fechada recentemente, sem alarde, entre Alckmin e Dilma.

São 135 km, orçados em R$ 5,5 bilhões, ligando SP a Americana. Terá nove estações. Principais? Jundiaí e Campinas.

Nos trilhos 2

A ideia do governo paulista é abrir, ainda este ano, a licitação da obra para quem quiser entrar. Alckmin pretende usar como modelo a PPP da linha 6 do metrô – na qual a iniciativa privada constrói, opera e mantém.

Quem ganhar terá de pagar o custo do projeto ao BTG/EDLP – caso o próprio consórcio não seja o vencedor.

Nos trilhos 3

A proposta é maior. Contempla o Estado inteiro, com dois corredores ferroviários de passageiros e cargas fazendo uma cruz: um no sentido norte-sul; outro, leste-oeste. Valor? R$ 20 bilhões.

Mas alguns trechos se sobrepõem ao desenho do Trem de Alta Velocidade.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.