No way out

Sonia Racy

30 de agosto de 2016 | 01h01

Por que a presidente insiste na tese do golpe? Segundo o cientista político Rubens Figueiredo, pelo simples motivo de que a única alternativa a isso seria reconhecer que cometeu crime de responsabilidade.

Por outro lado, acrescenta ele, “a percepção do ambiente à sua volta nunca foi o forte dela”.

Mas para Dilma foi melhor ir do que não ir. “A estratégia da presidente de montar uma narrativa da deposição cria um discurso de oposição” para ela e para o PT.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: