No topo e no chão

Redação

19 de novembro de 2008 | 06h00

Organizadores de China – Construção/Descontrução, aberta ontem no Masp, colocaram na mesma sala a obra mais cara e a mais barata.

O quadro de Mao Yan, de 400 mil, encara a obra de Liu Ding, de R$ 365.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.