No papel

Sonia Racy

11 de outubro de 2013 | 01h05

Esta coluna teve acesso ao contrato da construção da Arena Palestra, assinado por WTorre e Palmeiras.

Feito pelos advogados Antonio Pompeu de Toledo, atual presidente do Conselho Deliberativo do clube, e Marcelo Terra, contratado para tanto, diz o texto: “O direito de uso de cadeiras e camarotes será comercializado pela Superficiária (WTorre) com terceiros na forma de cessão de uso ou outra forma definida pela Superficiária por período não superior a 5 anos”. E mais: a WTorre deve respeitar “titulares de cadeiras cativas e vitalícias”.

Pelo documento, cabe ao clube porcentagem sobre o valor arrecadado pela construtora – que aumenta com o passar do tempo.

No papel 2

Procurado, o ex-presidente do Palmeiras Luiz Gonzaga Belluzzo se limita a dizer: “O contrato com a WTorre ficou à disposição dos associados do clube por uma semana para consulta. Houve votação e a grande maioria aprovou”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: