No papel…

Sonia Racy

25 de novembro de 2014 | 01h04

Em meio às denúncias de violência na Faculdade de Medicina da USP, mais de um projeto de lei criminalizando o trote violento em universidades tramita, atualmente, na Câmara e no Senado.

Um deles, aprovado pelos deputados em 2009, prevê multa de R$ 1 mil a R$ 20 mil, suspensão e até expulsão dos alunos que praticarem os chamados “trotes vexatórios”.

…e na prática

Paula de Figueiredo, a promotora responsável pelo caso, tinha reunião agendada, ontem, com a procuradoria da universidade e com a diretoria da Medicina.

Motivo? Analisar as propostas apresentadas no relatório sobre os abusos – entregue na semana passada.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.