No ar

Sonia Racy

20 de julho de 2010 | 23h10

Dois aviões Gulfstream – cujo preço pode chegar a US$ 50 milhões cada e que serviam antes ao narcotráfico – voarão agora para combater justamente o mesmo crime. Apreendidos na operação Aquário – com sentença do juiz Fausto De Sanctis no ano passado –, as aeronaves passam a pertencer à Coordenadoria Geral de Policiamento Aéreo.

Tendências: