Nicole Puzzi, rainha da pornochanchada, chora em estreia de peça

Sonia Racy

29 Junho 2018 | 00h28

Nicole Puzzi, a “rainha da pornochanchada” dos anos 60 e 70, chorou – de alegria – seguidas vezes na estreia da peça Transex, anteontem, nos Satyros. Uma delas foi quando a plateia, formada por produtores, técnicos e fãs do gênero, aplaudiu ao ouvi-la dizer que “a pornochanchada foi o que manteve o cinema nacional vivo naquela época”.

A peça se passa no fim dos anos 60, e trata do amor entre dois transexuais. A personagem da moça é uma estrela de pornochanchada da época da Boca do Lixo, fins dos 60, majoritariamente nos 70. Ou seja, ela mesma.

Nicole, na peça, se diz a rainha da pornochanchada. Mas sempre é interrompida por outra personagem, a trans Márcia Dailyn, também protagonista, que diz: “A rainha da pornochanchada é a Helena Ramos. Você é a deusa da pornochanchada”.