Nem tudo é o que parece

Sonia Racy

19 de novembro de 2013 | 01h08

Existe bastante diferença entre o caso Salvatore Cacciola e o caso Henrique Pizzolato. A condenação do petista no STF é definitiva. Já a sentença de Cacciola ainda não transitou em julgado.

Por que, então, ficou preso de 2007 a 2011? Ação preventiva da Justiça. Em 2000, o banqueiro fugiu para a Itália, depois de passar 37 dias detido. Conseguiu habeas corpus e sumiu. Sua condenação a 13 anos de prisão, em primeira instância, só se deu em 2005. Com ele, outros sete foram condenados e… nunca presos. Têm direito a esperar sentença final em liberdade.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.