Nem todo ouvidos

Sonia Racy

07 de agosto de 2015 | 00h11

Marina Silva não acredita na destituição da presidente com base na avaliação, pelo Congresso, do relatório do TCU. Se Dilma for levada a deixar o cargo, no seu ver, será via julgamento no TSE.

A informação foi dada durante jantar para cerca de 60 pessoas, na casa de um integrante do mercado financeiro, onde a ex-presidenciável reafirmou – para decepção de muitos – ser contra o impeachment. A não ser que venha acompanhado de provas contundentes. “A economia já foi destruída, não podemos destruir também as instituições políticas.”

Tendências: