“Não podemos permitir revanchismo antidemocrático”, diz Sabatella sobre suposta censura

“Não podemos permitir revanchismo antidemocrático”, diz Sabatella sobre suposta censura

Marcela Paes

30 de abril de 2020 | 10h59

Leticia Sabatella. Foto: Iara Morselli/Estadão

Leticia Sabatella, que passa a quarentena com a família,  foi pega de surpresa ao receber a notícia de que teria sido supostamente censurada pela TV Brasil. A atriz ficou sabendo do ocorrido por um jornal carioca. A emissora já tinha anunciado que exibiria o programa Recordar É TV – em que um artista é homenageado com imagens de arquivo – tendo Letícia como personagem no último sábado (25). Por fim, exibiram um programa com Agildo Ribeiro.

“Estamos vendo muitas coisas acontecerem que nos levam a crer nesta direção”, disse a atriz em entrevista à coluna.

A hipótese de censura vem sendo levantada por diversos artistas, inclusive por Paula Lavigne, que, por meio da organização 342Artes#, quer buscar informações para fazer uma queixa coletiva de censura.

“Parece assustador, que toda uma trajetória de exercício como artista e ativista de direitos humanos, em ações contra o trabalho escravo, em ações e filmagem e atividades cênicas com refugiados, indígenas, camponeses, comunidades carentes, hospitais públicos, e todo um posicionamento coerente e humanista possa suscitar este tipo de censura”, diz Letícia.

A atriz não recebeu qualquer aviso da emissora e a Empresa Brasil de Comunicação não quis se manifestar sobre o caso. “Acredito que não podemos, enquanto sociedade , permitir este tipo de revanchismo desproporcional e antidemocrático”, completa Leticia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: