“Não há o menor risco de golpe”, afirma Delfim Netto

Sonia Racy

04 de abril de 2021 | 00h50

ANTONIO DELFIM NETTO FOTO WERTHER SANTANA ESTADÃO

Em conversa semana passada, Delfim Netto – sábio ex-ministro de governos militares – foi categórico em garantir que no Brasil de hoje não há o menor risco de um golpe. “Com a mudança radical de regras que Castello Branco promoveu (como primeiro presidente pós-64) um militar não pode ficar na ativa por mais de doze anos”.

No ver do professor, essa limitação varreu a possibilidade de politização das Forças Armadas, pois não há mais tempo ou espaço para conchavos. “E a nova geração de militares foi educada para ter respeito à Constituição, são eles os garantidores da Carta”.

Sem chance 2

Quanto mais Bolsonaro briga pelo poder, segundo Delfim, mais… ele perde poder. “Ao se debater na areia movediça, vai afundando”. Olhando para o futuro, o economista e ex-deputado acredita que “ele deve terminar o governo e vai apenas embora”.

Pandemia

A Tim promoveu uma enquete entre 100 mil clientes e descobriu que 55% vão celebrar o feriado de Páscoa em casa e sem convidados. Outros 16% convidaram a família para comemorar.

E 25% simplesmente vão…ignorar a data.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.