Não funciona

Sonia Racy

01 de dezembro de 2010 | 23h08

A ideia de Dilma de abrir o capital dos aeroportos brasileiros, mantendo o controle acionário nas mãos da União, não teve o menor eco na iniciativa privada. Pelo que se apurou, ninguém quer ser sócio minoritário da Infraero.

Terão de arrumar outra saída para viabilizar a urgência em reformar e ampliar a infraestrutura aeroportuária para a Copa de 2014.

Como bem diz Ricardo Teixeira, da CBF, são três os graves problemas para a realização do evento no Brasil: “o primeiro é aeroporto, o segundo, aeroporto, e o terceiro, aeroporto”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.