Não fica bem

Redação

05 de dezembro de 2008 | 06h00

Luciano Coutinho, do BNDES, até que tem vontade.
Mas recebeu determinação do governo Lula de não entrar com uma participação maior em empresas como a Sadia ou Aracruz, que tiveram perdas por causa de alavancagem cambial.

Acham que seria politicamente incorreto.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: