Não é não

Sonia Racy

24 de maio de 2012 | 01h10

Dilma abortou a operação de compra, pelo BB, de participação minoritária no Santander – o negócio incluiria, no desenho, o Banco Votorantim.

Pediu a Mantega que avisasse os envolvidos: não quer que o BB capitaneie maior concentração no sistema financeiro brasileiro – justamente quando o governo está pregando mais competição no setor.

Não 2

Indagada, a família Ermírio de Moraes atesta não ter interesse algum em adquirir qualquer participação em outras instituições financeiras. Nem intenciona vender sua parte no Votorantim.

E confirma estar preparada para capitalizar o mesmo, visando a manutenção do banco nos novos índices de Basileia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.