Não, a ver navios

Redação

17 de maio de 2009 | 06h00

Pela primeira vez na sua história, a Vale vai fazer hedge para sua compra de combustíveis. Afinal, este preço é fundamental para manter estabilidade no custo do frete da sua frota, que cresce a passos largos.

Hoje ela opera três navios próprios e tem encomendados outros 49 a estaleiros do Brasil. E da China vêm mais oito de grande porte.


Veja também:
documentoOutras notas no blog da coluna Direto da Fonte

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.