Nada maravilha

Sonia Racy

04 de julho de 2014 | 01h04

Dadá Maravilha, campeão do mundo em 1970, é figura presente nos treinos da seleção brasileira em Teresópolis e tem brincado com todos, como é de sua natureza.

Ontem, entretanto, aflorou seu lado crítico. Ao comentar os treinos escassos da equipe antes do jogo, hoje, com a Colômbia, disparou: “Gente, isso é uma tristeza! Vivo no futebol há mais de 50 anos e nunca vi nada igual!”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: