Nada mais que a verdade

Redação

06 de dezembro de 2008 | 06h00

No rastro do episódio do empréstimo de R$ 2 bilhões da CEF à Petrobrás surgiu a informação de que a petroleira havia perdido uma montanha de dinheiro com derivativos. E a empresa nada de vir a público com um desmentido peremptório.

Ante a situação, Dilma Rousseff – dona de um assento no conselho da estatal – ligou para o presidente da Petrobrás, Sérgio Gabrielli, e perguntou na lata: “Gabrielli, furo um olho seu se você tiver escondido da gente operações com derivativos. O que você tem a dizer?”

Resposta: “Se tivesse escondido uma coisa dessas, você poderia furar os dois.”

Como mentir para Dilma é, assim, perigoso…

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.