Na orelha

Sonia Racy

10 de novembro de 2011 | 23h07

A Câmara paulistana fechou o cerco a quatro altos funcionários do departamento Aprov, da Prefeitura. Eles não deram o ar da graça para prestar esclarecimentos sobre fraude de R$ 50 milhões em casos de recolhimento da outorga onerosa.

Se não apresentarem justificativa plausível para a ausência, terão os salários suspensos.

Orelha 2

A Câmara mandou notificação a Kassab, para que ordene a ida dos funcionários à Casa. Caso não o faça, o prefeito está sujeito a punição por infração política administrativa.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: